Do emprego da palavra "história" no Prefácio Epistolar da História Natural de Plínio, o Velho (séc. I d.C.)

Thiago David Stadler

Resumo


Neste artigo abordamos o uso da palavra “história” feito por Plínio, o Velho em seu Prefácio Epistolar da História Natural. Assim, analisaremos as quatro menções a esta palavra, cada qual com um tipo de abordagem específica. Ora temos o uso da palavra como indicativo do título da própria História Natural; ora como indicativo da obra de Tito Lívio; ora expressando o título de outra obra de Plínio, o Velho; ora para citar a obra de um autor grego. Com isto, temos como objetivo apresentar outra possibilidade de leitura da obra pliniana, qual seja, pelo viés histórico e não pelo enciclopedismo.


Referências


DOODY, Aude. Pliny’s Encyclopedia: the reception of the Natural History. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

ECO, Umberto. Confissões de um jovem romancista. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

GIBSON, Roy K. & MORELLO, Ruth (org.) Pliny the Elder: themes and contexts. Leiden.Boston: BRILL, 2011.

MURPHY, Trevor. Pliny the Elder’s Natural History: the Empire in the Encyclopedia. Oxford: Oxford University Press, 2004.

OLIVEIRA, Francisco. Ideais Morais e Políticas em Plínio, o Antigo. Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1986.

RUIZ DE ELVIRA, Antonio. Universitas y Enclyclopedia (II). Sevilha: Revista Habis, n.29, 1998.

RUSSEL, Bertrand. Fundamentos da Filosofia. Trad. Hélio Pólvora. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

STADLER, Thiago David. O Império Romano em cartas: glórias romanas em papel e tinta (Plínio, o Jovem e Trajano 98/113 d.C.). Curitiba: Juruá Editora, 2013.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


by

Revista Diálogos Mediterrânicos
Periodicidade Semestral
Curitiba - Paraná - Brasil
ISSN 2237-6585