A biografia de Eliseu Visconti pela escrita de Frederico Barata

Ana Heloisa Molina

Resumo


Eliseu d’Angelo Visconti (1866-1944) foi um pintor italiano naturalizado brasileiro cujas obras marcaram as primeiras décadas do século XX. Intitulado como “impressionista” ou “pintor eclético” sua biografia redigida pelo crítico de arte Frederico Barata (1900-1962) adquire outro viés de abordagem. Esse artigo procura apresentar Eliseu Visconti enquanto homem de seu tempo, as linhas que cruzam os referenciais teóricos sobre o uso da biografia e sua escrita, no caso, sob o olhar de um crítico de arte e, por fim, o perfil do artista traçado por Barata em seu livro “Eliseu Visconti e seu tempo”.


Referências


BARATA, Frederico. Eliseu Visconti e seu tempo. Rio de Janeiro: Valverde, 1944. 222p.

BORDIEU. La distinction: critique sociale du jugement. Paris: Editions de Minuit, 1979.672p.

BOURDIEU, Pierre. “A ilusão biográfica”. In: Usos e abusos da História Oral. 2a ed. Rio de Janeiro: FGV, 1998, p.183-191.

CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO ELISEU VISCONTI. MNBA, Rio de Janeiro, 1967.

COSTA, Angyone. A inquietação das abelhas. (O que pensam e o que dizem os nossos pintores, esculptores, architectos e gravadores, sobre as artes plásticas no Brasil). Rio de Janeiro: Pimenta de Mello e Cia, 1927.298p.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: . Acesso em: 16 de Mai. 2017. Verbete da Enciclopédia.

ENGELMANN, Arno. Os estados subjetivos: uma tentativa de classificação de seus relatos verbais. São Paulo: Ática, 1978.544p.

GRENDI, Edoardo. Repensar a micro história? In. Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro: FGV, 1998.p.251-262.

GRIBAUDI, M. Escala,pertinencia,configuração. Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro: FGV, 1998.p.121-150.

GUIMARÃES, Lucia M. Paschoal. Debaixo da imediata proteção de sua Majestade Imperial: o IHGB (1838-1889). Tese (Doutorado em História) - Faculdade de História. Universidade de São Paulo, 1994. (Mimeo.).

MELLO, Maria Elizabeth Chaves de. Lições de crítica: conceitos europeus, crítica literária e literatura crítica no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: EDUFF, 1997.151p.

MOTTA, Marly Silva da. “O relato biográfico como fonte para a história”. Vidya. Santa Maria, n.34, jul./dez 2000.p.101-122.

REVEL, Jacques. Apresentação. In. Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro: FGV, 1998. p.07-14.

TEIXEIRA, Lucia. As cores do discurso: análise do discurso da crítica de arte. Rio de Janeiro: Ed UFF, 1996.242p.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


by

Revista Diálogos Mediterrânicos
Periodicidade Semestral
Curitiba - Paraná - Brasil
ISSN 2237-6585