A prática intelectual de Michel Foucault e a de Donna Haraway: saberes localizados e subjugados

Priscila Piazentini Vieira

Resumo


Este artigo discute a prática intelectual de Michel Foucault e a de Donna Haraway. Para isso, destaco como a figura do intelectual mudou entre as décadas de 1960 e 1980. Mais do que ser pensado como o portador do "universal", o intelectual passa a atuar nos lugares "específicos" onde se situa, como a moradia, o hospital, o asilo, o laboratório, a universidade e as relações familiares ou sexuais. Participando dessas mudanças, Haraway e Foucault criaram novos modos de produção do conhecimento, elaborando conceitos próprios e transformando o campo da prática intelectual do período. Para compreender esses espaços de criação, ressalto como Haraway e Foucault estabelecem outras relações com a ciência, a verdade e a objetividade, principalmente ao proporem que entendamos os saberes como localizados, privilegiando a perspectiva dos subjugados.


Referências



Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


by

Revista Diálogos Mediterrânicos
Periodicidade Semestral
Curitiba - Paraná - Brasil
ISSN 2237-6585