O modelo renascentista e sua expansão para além da Península Itálica

Autores

  • Alexandre Ragazzi Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

DOI:

https://doi.org/10.24858/147

Resumo

De acordo com as periodizações históricas, o Renascimento Italiano estendeu-se entre o início do século XV e o século XVI, entre o final da Idade Média e o aparecimento do Maneirismo. Quando, no entanto, observam-se com mais atenção a formação desse contexto cultural e suas consequências, logo se percebe que tanto as conexões com períodos anteriores quanto as influências sobre épocas posteriores foram muitas. Neste artigo, partindo da ampliação dos limites daquilo que se conhece por Renascimento, pretende-se analisar alguns aspectos da fortuna e recepção do modelo renascentista. Essa abordagem terá como ponto central a pintura produzida durante o Renascimento assim como alguns dos mecanismos desenvolvidos durante esse período para garantir-lhe a qualidade. Mais especificamente, serão consideradas uma técnica artística, isto é, o uso modelos plásticos auxiliares por pintores, e as funções que lhe foram atribuídas. A partir desses elementos, a intenção é demonstrar como mesmo as menores peculiaridades podem estar revestidas de um elevado significado simbólico.

Biografia do Autor

Alexandre Ragazzi, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Departamento de Teoria e História da Arte

Downloads

Publicado

19/08/2015

Como Citar

Ragazzi, A. (2015). O modelo renascentista e sua expansão para além da Península Itálica. Revista Diálogos Mediterrânicos, (8), 99–119. https://doi.org/10.24858/147