O rito na Era Bizantina e a aliança entre o Império e a Religião

Autores

  • Paulo Augusto Tamanini Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.24858/203

Palavras-chave:

Rito Bizantino, Igrejas cristãs Orientais, Constantinopla

Resumo

Este artigo versa sobre o rito das celebrações religiosas e profanas que aconteciam na corte imperial bizantina e que mostrava a  estreita aliança existente entre a Igreja e o Império. Para tanto busca elucidar o consorcio entre essas instituições e as razões para sua construção através do próprio textos ritualisticos da corte. Foca sua atenção igualmente na pessoa do cerimoniário que era escolhida entre o clero que mais se destacava na corte imperial. Finalmente, tenta demonstrar que, apesar de séculos, a execução dos mesmos ritos nas Igrejas cristãs Orientais presentes no Brasil não se exime de receber considerações acerca de sua legitimidade

Biografia do Autor

Paulo Augusto Tamanini, Universidade Federal do Paraná

Professor e Pesquisador do PNPD-CAPES no PPGHIS da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Integrante do Comitê Científico da Revista Contraponto do PPGHB (UFPI). Atua na Linha de Pesquisa Espaço e Sociabilidades (PPGHIS/UFPR). Doutor em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013); Mestrado em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2010).Curso de Extensão em Teologia Bizantina, pela Θεολογική Σχολή Αγίων Κυρίλλου και Μεθοδίου - Grécia (2001). Especialização em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996). Possui graduação em Filosofia, com habilitação em História, Filosofia e Sociologia pela Fundação Educacional de Brusque (1991). Suas pesquisas versam sobre o Império Bizantino, desdobrado nos temas de sua religião cristã oriental, arte iconográfica; Ensino da História Antiga e Medieval e a Didática com o uso de Imagens iconográficas; Historiografia, método historiográfico e a Educação acerca da Antiguidade e Medievo; imigração dos povos bizantinos-eslavos (ucranianos) para os estados de SC e PR; as igrejas bizantinas Ortodoxa(s) e católicas presente(s) no Brasil.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I. Tradução de Henrique Burigo. 2.ed. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2002.

AHRWEILER, H. L'idéologie politique de l 'Empire byzantin. Paris, 1975.

ANIN, R. Constantinople byzantine. Développement urbain et répertoire topographique. Archives de l’Orient Chrétien, Paris 1964.

BINNS, John. Las Iglesias del Oriente. Madri: Ediciones Akal, 2009.

CARCIONE, Philip. As Igrejas Orientais. Identidade, patrimônio e quadro histórico geral. San Paolo, Cinisello Balsamo, 1998.

CUROPALATA, Codinus G. De officiis magnae Ecclesiae et aulae constantinopolitanae . Venezia 1729.

FALBEL, Nachman. Heresias Medievais. São Paulo: Editora Perspectiva, 1976.

FORTINO E. F. L'iniziazione cristiana nella Chiesa Bizantina. Besa, Roma 1985. FRANCO, Jr., Hilário. O ano 1000. Tempo de medo ou de esperança? São Paulo: Cia das Letras, 1999.

FRANCO JR, Hilário. O império bizantino. São Paulo. Editora Brasiliense, 1985.

GONÇALVES, A. L; ARAUJO, V. L. de (Orgs.). Estado, Região e Sociedade: contribuições sobre história social e política. Belo Horizonte: Argumentam, 2007.

KANTOROWICZ, Ernst H. Os dois corpos do rei: um estudo sobre teologia política medieval. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

LEMERLE, Paul. História de Bizâncio. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

MEYENDORFF, Jean. L'Église Orthodoxe. Paris: Seuil, 1995.

MORINI, Enrico. Os ortodoxos: o Oriente do Ocidente. São Paulo: Paulinas, 2005.

OSTROGORSKY G. Storia dell’impero bizantino. Torino, 1993.

PARENTI S. - VELKOVSKA E. Mille anni di “rito greco” alle porte di Roma. Monastero italo-bizantino di Grottaferrata, Grottaferrata, Itália, 2004.

PERI, Vittorio. La grande Chiesa bizantina. L'ambito ecclesiale dell'ortodossia. Italia: Queriniana, 1981.

POUDERON, Bernard; DUVAL, Yves-Marie. L’historiographie de l’Église des premiers siècles. Beauchesne Éditeur, 2012.

PRANDI, R. PIERUCCI, F. A realidade das religiões no Brasil. São Paulo: Hucitec, 1996.

RIBICHINI, Sérgio. Sulle tracce del mito. Dei ed eroi greci, tra archeologia e storia delle religioni. IN.: Archeo, n. 226, Abril 2007. Roma, Itália.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2000

TAFT R. F. La Liturgia delle Ore In Oriente e in Occidente. Le origini dell'Ufficio divino e il suo significato oggi. Roma Ed. Lipa, 2001.

TAMANINI, Paulo Augusto. Conhecendo o cristianismo Oriental: as Igrejas Ortodoxas e Católicas Orientais presentes no Brasil a partir do século XIX.. In: Anais do IV Simpósio do GT História das Religiões e Religiosidades da ANPUH. Joinville: Univille, 2015.

TAMANINI, Paulo Augusto. Ortodoxia, catolicismo e unidade no contexto do Vaticano II. Cultura Teológica. Revista de Teologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Ano XXIII, n. 85 Jan/Jun 2015.

ZERNOV, Nicholas. O cristianismo oriental. Roma, Basic Books, 1962.

Downloads

Publicado

05/08/2016

Como Citar

Tamanini, P. A. (2016). O rito na Era Bizantina e a aliança entre o Império e a Religião. Revista Diálogos Mediterrânicos, (10), 158–173. https://doi.org/10.24858/203