Cronística medieval em Portugal: Fernão Lopes e o modelo de justiça régia

Autores

  • Rodrigo Barbosa Schiavinato Universidade Federal do Parana

DOI:

https://doi.org/10.24858/295

Palavras-chave:

baixa idade média, Península Ibérica, crônicas medievais, relações de poder

Resumo

O objetivo deste artigo consistiu nas análises das práticas judiciárias do rei português D. Pedro I (1357 – 1367) escritas pelo letrado e cronista oficial do reino de Portugal Fernão Lopes (1380? – 1459). Foi utilizada enquanto fonte prioritária a primeira obra da trilogia encomendada pela casa régia lusitana enquanto instrumento de legitimação dinástica da casa de Avis, a Crônica de D. Pedro I. Começamos este texto observando o contexto da produção destes escritos para procurar compreender os processos de construção do rei D. Pedro I e da História retratada pelo cronista sobre o seu reinado. Dois momentos foram obedecidos mediante um levantamento contextual voltado para as relações de poder, o do cronista e o do rei retratado, realidades distantes no tempo, mas permutadas no campo do discurso cronístico. Portanto, concluímos que a metodologia do trabalho seguiu preceitos característicos em relação às análises de fontes narrativas, como as condições de produção, percurso, conteúdo e recepção.

Biografia do Autor

Rodrigo Barbosa Schiavinato, Universidade Federal do Parana

Graduado em História pela UEM, Mestrado em História pela UFPR, Doutorado em História pela UFPR

Referências

Fontes.

AYALA, Pero Lopez de. “Crónicas de los Reyes de Castilla: Don Pedro, Don Henrique II, Don Juan I y Don Henrique III”. In ROSELL, Don Cayetano. Crónicas de los Reyes de Castilla: desde Don Alfonso el Sabio hasta los Catolicos Don Fernando e Doña Isabel. Madrid, Tomo Primero, 1953.

LOPES, Fernão. Crônica de D. Pedro. Lisboa, Portugália Editora, 1967.

LOPES, Fernão. História de uma revolução: Primeira parte da Crônica de El-Rei D. João I de Boa Memória. Lisboa, Publicações Europa-América, 1977.

Bibliografia.

BERRIEL, Marcelo Santiago. “A Semiótica e suas possibilidades teórico-metodológicas na análise de fontes medievais narrativas”. In Revista Diálogos Mediterrânicos. Curitiba, junho/2014, n. 6, p. 13-28.

FERNANDES, Fátima Regina. “A construção da identidade monárquica portuguesa: dinâmicas de apoio e resistência”. In Signum. Belo Horizonte, Revista da ABREM, 2013, vol. 14, n. 2, p. 40-53.

FILHO, Flávio Ferreira Paes. A práxis político-administrativa nos textos legais dos monarcas portugueses (séculos XIII – XIV). Tese (Doutorado). Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2008.

FREITAS, Judite A. Gonçalves. “A História Política e a Periodização da História de Portugal: problemas, métodos e soluções”. In Revista de Teoria da História. Goiânia, Revista da Faculdade de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás, julho/2017, vol. 17, n. 1, p. 11-29.

HOMEM, Armando Luís de. “Os oficiais da justiça central régia nos finais da idade média portuguesa (ca. 1279-ca.1521)”. In Revista Territórios e Fronteiras. Cuiabá, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Mato Grosso, jan/jun 2008, v.1, n.1, p. 19-34.

MARTÍNEZ BARRERA, Jorge. A política em Aristóteles e Santo Tomás. Trad. Carlos Ancêde Nougué. Rio de Janeiro, Sétimo Selo, 2007.

MONTEIRO, João Gouveia. Fernão Lopes: texto e contexto. Coimbra, Ed. Minerva-história, 1988.

PIMENTA Cristina. D. Pedro I: Entre o reino e a recordação de Inês. Rio de Mouro, Círculo de Leitores, 2005.

REBELO, Luís de Souza. A concepção do poder em Fernão Lopes. Lisboa, Ed. Livros Horizonte, 1983.

SARAIVA, José Hermano. “Introdução à leitura de Fernão Lopes”. In História de uma revolução: Primeira parte da Crónica de El-Rei D. João I de Boa Memória. Lisboa, Publicações Europa-América, 1977.

SCHIAVINATO, Rodrigo Barbosa. D. Pedro I de Portugal: entre o discurso cronístico e a voz das Cortes. Dissertação (Mestrado). Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná, 2011.

SCHIAVINATO, Rodrigo Barbosa. “Embates entre o poder eclesiástico e o poder secular no pensamento político da baixa idade média em contexto de afirmação das monarquias cristãs”. In Revista Sociais e Humanas. Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Federal de Santa Maria, jul/dez 2010, vol. 23, n. 2, p. 19-28.

SOUZA, José Antônio e BARBOSA, João Morais. O Reino de Deus e o Reino dos Homens: As relações entre os poderes espiritual e temporal na Baixa Idade Média (da Reforma Gregoriana a João Quidort). Porto Alegre, Edipuc, 1997.

Downloads

Publicado

08/08/2018

Como Citar

Schiavinato, R. B. (2018). Cronística medieval em Portugal: Fernão Lopes e o modelo de justiça régia. Revista Diálogos Mediterrânicos, (14), 297–314. https://doi.org/10.24858/295