Agora eu tenho outras regras para respeitar": Transformações no imaginário social feminino e mariano no filme "Io sono con te" (2010)

Autores

  • Aline Dias da Silveira
  • Rodolpho Santos Melo Bastos

DOI:

https://doi.org/10.24858/326

Resumo

Este ensaio pretende, através do filme “Io sono con te” (2010), identificar as rupturas ocorridas no imaginário social feminino e mariano, por meio da personagem de Maria. A obra narra sobre a história de vida de Maria, seu relacionamento com José e a forma como criou e educou Jesus. As imagens de Maria provocam uma ruptura em relação à tradição dos evangelhos e dos discursos clericais medievais que a entendiam como um modelo de feminilidade (silêncio, recato, submissão, etc). Ela é apresentada como desobediente, pois não se submete as imposições masculinas, gozando, por vezes, de liberdade e autonomia. Tais imagens de Maria estão na esteira dos movimentos de contestações do século XX, sobretudo, do movimento feminista. Este trabalho leva em consideração o contexto de produção da obra, articulados com os conceitos de “produção de presença” de Gumbrecht, “espaço de experiência” e “horizonte de expectativas” de Koselleck, com nossa fonte fílmica e objeto de estudo (Maria). “Io sono con te” evidencia camadas temporais que se articulam num espaço mediterrânico, onde se dá a confluência das culturas orientais e ocidentais, bem como os elementos antigos de um modelo feminino com os movimentos modernos de empoderamento das mulheres.

 

Palavras-chave: Maria, “Io sono con te”, movimento feminista.

Downloads

Publicado

11/08/2019

Como Citar

Dias da Silveira, A., & Bastos, R. S. M. (2019). Agora eu tenho outras regras para respeitar": Transformações no imaginário social feminino e mariano no filme "Io sono con te" (2010). Revista Diálogos Mediterrânicos, (16), 199–221. https://doi.org/10.24858/326