Panorama sobre a História Intelectual no Paraná (2005-2015): breves considerações e reflexões

Autores

  • André Luiz Leme Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)
  • Marcos Luís Ehrhardt Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)
  • Milton Stanczyk Filho Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)
  • Moisés Antiqueira Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

DOI:

https://doi.org/10.24858/385

Palavras-chave:

História Intelectual, Paraná, Escrita da história.

Resumo

O estudo apresenta um levantamento e análises inéditos sobre a produção historiográfica referente à História Intelectual no cenário acadêmico paranaense entre 2005 e 2015. Assim, a pesquisa considerou os trabalhos publicados por historiadores(as) lotados nas universidades do Paraná no referido período, que se caracteriza pela verticalização dos cursos de História em todas as regiões do Estado. Para cumprir com os objetivos propostos, baseamo-nos em uma definição acerca do que se entende por “história intelectual” – uma abordagem histórica a respeito das “formas intelectuais” observadas em dada época e lugar, com ênfase no uso do suporte escrito como meio para a conceitualização, organização e comunicação das “formas” ora aludidas – a fim de mapearmos diferentes aspectos relacionados ao mencionado campo historiográfico. Nesses termos, o artigo traça um panorama sobre os docentes e os temas de pesquisa ligados à História Intelectual, ao mesmo tempo em que tece considerações sobre os sentidos desse campo a partir dos elementos apontados por diferentes pesquisadores(as) por nós entrevistados para a realização da pesquisa.

Biografia do Autor

André Luiz Leme, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Doutor em História, Cultura e Sociedade pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR, 2015). Docente do curso de Graduação em História da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Marcos Luís Ehrhardt, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Doutor em História, Cultura e Sociedade pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR, 2008). Docente dos cursos de Graduação e Pós-Graduação em História da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Milton Stanczyk Filho, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Docente do curso de Graduação em História da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Moisés Antiqueira, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP, 2012). Docente dos cursos de Graduação e Pós-Graduação em História da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Referências

ALBERTI, Verena. Manual de História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro, Editora da FGV, 2005.

ALBIERI, Sara. Site do XXVII Simpósio Nacional de História, 2013. História Intelectual: ideias, conceitos, contextos (Simpósio 081). Disponível em: http://www.snh2013.anpuh.org/simposio/view?ID_SIMPOSIO=1068. Acesso em: 05 de fevereiro de 2018.

ALTAMIRANO, Carlos. “Idéias para um programa de História Intelectual”. In Tempo Social. Revista de Sociologia da USP. São Paulo, 2007, Vol. 19, nº 1, p. 9-17.

ARMANI, Carlos H. “História intelectual e redes contextuais”. In Anos 90, Porto Alegre, 2013, Vol. 20, nº 37, p. 137-150.

DARNTON, Robert. “História intelectual e cultural”. In O beijo de Lamourette. Mídia, cultura e revolução. São Paulo, Companhia de Bolso, 2010 [1990], p. 204-231.

FALCON, Francisco J. C. “Apresentação”. In BOUTIER, Jean; JULIA, Dominique (orgs.). Passados recompostos: campos e canteiros da História. Rio de Janeiro, Editora da UFRJ; Editora FGV, 1998, p.09-18.

HAHN, Fábio A. “História Intelectual: uma nova perspectiva”. In História e-história, 2007, Vol. 20, p. 1-16. Disponível em: https://historiaehistoria.com.br/materia.cfm?tb=professores&id=36. Acesso em 15 jul. 2012.

IGO, Sarah E. “Reply to Daniel Wickberg”. In Historically Speaking. Baltimore, 2009, Vol. 10, nº 4, p. 19-20.

JAY, Martin. “El enfoque textual de la historia intelectual”. In Campos de fuerza. Entre la historia intelectual y la crítica cultural. Buenos Aires; Barcelona; Ciudad de México, Paidós, 2003, p. 293-307.

KOSELLECK, Reinhart. “Uma história dos conceitos. Problemas teóricos e práticos”. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, 1992, Vol. 5, nº 10, p. 134-146.

LACERDA, Sonia; KIRSCHNER, Tereza C. “Tradição intelectual e espaço historiográfico ou porque dar atenção aos clássicos”. In LOPES, Marcos A. (org.). Grandes nomes da história intelectual. São Paulo, Contexto, 2003, p. 25-39.

MARGAIRAZ, Dominique; MOATTI, Claude. “L’histoire intellectuelle: quelques problèmes”. In Hypothéses, Paris, 1998, Vol. 1, nº 1, pp. 175-184.

MATOS, Júlia S.; SENNA, Adriana K. “História oral como fonte: problemas e métodos” In Historiae, Rio Grande, 2011, Vol. 2, nº 1, p. 95-108.

SANTOS, Dominique; KOLV, Graziele; NAZÁRIO, Juliano J. “O ensino e a pesquisa em História Antiga no Brasil: reflexões a partir dos dados da Plataforma Lattes”. In Mare Nostrum, São Paulo, 2017, Vol. 8, nº 8, p. 115-145.

SILVA, Helenice R. Fragmentos da História Intelectual. Entre questionamentos e perspectivas. Campinas, Papirus, 2002.

WICKBERG, Daniel. “Intellectual History vs. the Social History of Intellectuals”. In Rethinking History. The Journal of Theory and Practice. London, 2001, Vol. 5, nº 3, p. 383-395.

Downloads

Publicado

18/09/2020

Como Citar

Leme, A. L., Ehrhardt, M. L., Filho, M. S., & Antiqueira, M. (2020). Panorama sobre a História Intelectual no Paraná (2005-2015): breves considerações e reflexões. Revista Diálogos Mediterrânicos, (18), 176–196. https://doi.org/10.24858/385

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>